segunda-feira, 20 de julho de 2009

"Está bem"

Estavas tão longe,
Sentia a brisa passar por entre os dedos,
Como um murmúrio inaudível,
Como uma vida cheia de segredos.

"Está bem" , disse,
Não queria ouvir mentiras.
"Está bem", aceitaste,
Mas não era o que querias.

Senti-me miserável,
Mas onde estavas quando me perdi,
Quando não me encontraste,
Quando bati no fundo e, quase, sucumbi.

Talvez não estivesses mesmo lá,
Uma presença que nunca chegou,
Mas onde estavas?
Pois não foi comigo que partilhaste o teu...

"Está bem"

4 comentários:

De Amor e de Terra disse...

Minha querida Patrícia, bom dia!
Há muito que não tenho podido vir até cá; mas agora aqui estou.
Como sempre, obgd. pelas palavras.
Este teu "está bem", traduz (o teu)
e muitos dos meus/nossos estados de alma...
há sempre alguém aparecendo e desaparecendo da nossa vida, trazendo e levando consigo essas duas palavras, que às vezes dizem muito e outras nada ou quase.
E tanta vez quando precisamos, esse "Está bem" é sinónimo de ausência.
Gostei!
Beijo
Maria Mamede

Marta disse...

A vida é feita de "estás bem" genuínos ou trocistas.
Nem sempre é fácil andar para a frente, mas devemos acompanhar a nossa vida e não perder a viagem.
Beijos e abraços
Marta

Vieira Calado disse...

Pois...

está bem!

Bjs

Anjo De Cor disse...

Olá Patrícia já estou de volta e tb adoro relógios ;) quanto ao teu post existem muitos "Está bem" com várias leituras... nem sempre reflecte aquilo que parece.
Belo poema como sempre ;)
Bjs*