sábado, 11 de julho de 2009

Paranóico

O medo é mais forte que tu,
Não o consegues controlar,
E por mais perguntas que faças,
Não posso adivinhar...

Acho que estás paranóico

Queres ser forte,
Mas não entendes a razão,
De estar tão assustado,
Com perguntas sem explicação.

Acho que estás paranóico

Vá lá, diz de uma vez,
O que não tens coragem,
Que estás amedrontado,
De fazer a última viagem.

Acho que estás paranóico

Estás paranóico,
Possivelmente não sabes porquê,
Mas estás paranóico,
E isso toda a gente vê.

4 comentários:

Anjo De Cor disse...

o medo é como um travão que não deixa viver... complicado muitas vezes de entender ;)
Bjs*

PS: Obrigada pela dica do nome gostei ;)

t i a g o disse...

Paranóico assim sou,
paranóico sempre fui.
e tu sempre notaste,
fingiste ignorar;

esqueceste as memórias,
e agora inventa-las.
mas sou paranóico, sim,
e tu?
o que és?

(ego poético a responder ao teu)

Vieira Calado disse...

A paranóia de alguns

só os outros a vêm, é bem verdade!

Bjs

Marta disse...

Há quem não entenda o medo e não o enfrenta.
A vida torna-se então complicada.
Bonito poema.
Obrigada Pela visita
Beijos e abraços
Marta