quinta-feira, 31 de julho de 2008

Lágrimas da Lua - Poema/ Canção oitava



Lágrimas da Lua,
Vão caindo lentamente,
Como gotas da chuva,
No meu rosto inocente.

O sol já foi embora,
E deixou a noite escura,
No seu manto delicado,
De menino com bravura.


Os sonhos de criança,
Fazem parte do meu ser,
E nunca os abandono,
É assim que vou crescer.


E nunca é tarde,
E nunca é cedo,
Vive a vida,
A cada momento.



Não percas a esperança,
É a última a morrer,
Porque nos sonhos de criança,
Tudo pode acontecer.


O vento assobiou,
Deu uma volta e sorriu,
Quem não percebeu,
Com certeza não ouviu.



E a chuva foi caindo,
Na janela escorreu,
As gotas de um dia,
Em que o sol esmoreceu.

4 comentários:

Tiago. disse...

Bonito vocabulário, doce como sonhos de criança e salgado como lágrimas de lua.

Bonita canção. Quero ouvi-la.

Tiago.

Anjo De Cor disse...

Muito bonito ;) parabéns pelos textos que escreves tem muita leveza e ao mesmo tempo sentimento ;)
Beijinhos e até breve.
Sónia

Isa disse...

Obrigada pela tua visita!Convite aceite.Aqui estou.Gostaria que,ao visitares o meu blog,visses,tendo paciência,claro,o que está para trás.É um caminho de muito Amor pelo que faço,pelos Alunos,pelos
Escritores,Poetas,sei lá.Vou ler a tua poesia e depois direi.Certo?
isa.

Isa disse...

Palavras lindas que deixaste.Engraçado...pontos de vista semelhantes,duas pessoas q. ñ se conhecem,vontade de conhecer "escritos",correcção,
gentileza.Vais achar,penso,interessante uma prof.
AMAR tanto os "seus meninos".Felizmente correspondem!
É o melhor da Vida de um Prof.Quem ñ der valor aos jovens,carinho,o q. de melhor tiver,acredita,ñ sabe o que perde.
bjo.
isa.