terça-feira, 21 de abril de 2009

Materialista

É estar presa a um mundo que não existe,
Do ponto de vista de um materialista,
É não acreditar na obra de um escritor,
Na pintura e escultura de um artista.

Isso faz de mim uma mentira,
Um espelho frágil e trágico de uma vida,
Com falhas e retalhos, pedaços e traços,
Não sei de quem a minha existência deriva.

Se a minha existência não existe,
Sou mera manipulação do destino,
Isso faz de mim quase imaginação,
Um pensamento de ilusão, sem nexo ou sentido.

Não quero acreditar na verdade,
Talvez por que não passa de uma mentira,
Chamem-me abençoada, talvez artista,
Mas calem-se as bocas que me chamam materialista!

3 comentários:

Isa disse...

Realmente,querida,pelo q. vejo,leio
e entendo de ti,nada tens de materialista.
Obrigada pelas palavras no post do
dia de amanhã.
Acredita, os teus Avós estão certos:foi algo de muito lindo e
q. ñ volta a acontecer!
Momento de Magia.
Beijoo.
isa.

Penso logo existo disse...

Não sei como vim aqui ter, tropecei no seu blog ou em palavras que deixou algures, adorei o seu poema, vou adicionar o seu blog para não me fugir.

Muitos parabens, é uma fantastica poetisa.

Abraço
Antonio Gallobar

Anjo De Cor disse...

Não me pareces nada materialista ;)
Só sei que as tuas são leves, fluem como uma música ;)
Bjs e bom fds ;)