domingo, 26 de abril de 2009

Sopro de Liberdade


Era o tempo que se fazia tarde,
O sofrimento já pesava, a dor era muita,
No peito carregavam a dor dos Homens,
No corpo as marcas de tortura.
O silêncio era cruel,
As palavras ficavam por dizer,
E na consciência dos Homens,
Nada se podia fazer.
Foi então que surgiu,
Como um sopro de Liberdade,
Um povo mais que unido,
Querendo bonança, no meio da tempestade.
E assim nasceram cravos,
As palavras saíram, o povo gritou,
A união faz a força
E disso, nunca ninguém duvidou.
Um sopro de liberdade para todos.

5 comentários:

Isa disse...

Vim retribuir o teu beijo,a tua visita e agradecer essa Mensagem e esse exemplo que os mais novos nos
dão.
A minha preocupação maior é pela tua geração,que é a dos meus Filhos.Acredito num Amanhã diferente para os meus Netos.Ah,sim.Acredito.
Beijo.
isa.

t i a g o . disse...

E para ti também. "Hoje e sempre" xD

Tiago

De Amor e de Terra disse...

Olá Patrícia, obrigada linda, pelas tuas palavras.
Fico feliz que olhes e vejas o que se passa e te preocupes, pois o futuro é teu;
Beijos

Maria Mamede

Anjo De Cor disse...

Pelo nosso futuro, Viva a Liberdade!
Beijinhos ;)

Marta disse...

Num sopro, tudo se diz...
Lindo...
Obrigada pela tua visita...
Beijos e abraços
Marta