quarta-feira, 8 de abril de 2009

Sonho

Hoje olhei para a folha,
Vi nela uma grande dúvida,
Não existiam palavras, nem riscos,
Apenas brancura.

Queria encontrar em mim,
Algo que pudesse mudar,
Talvez o aspecto, a personalidade,
Com certeza a maneira de falar.

Foram tantas as emoções,
Lembro-me de rir e chorar,
Quando lia uma história,
Ou a contava, de sentimentos a transbordar.

Tudo não passava de um sonho,
Era claro como a verdade,
Mas neste mundo de injustiças,
Nunca há igualdade.

Então sonhei ser uma folha,
Uma folha com uma dúvida,
Não ter palavras, nem riscos,
Ser apenas brancura.

É o regresso à poesia.

8 comentários:

Isa disse...

Belo regresso,querida.
Essa folha branca será a tua Vida,
para ires pintando,de todos os tons?
Feliz Páscoa.
Beijooo.
isa.

Lu Cavichioli disse...

Que beleza de poema Patricia!

Versos de candura que revelam uma menina tornando-se mulher, tomando consciencia das verdades. Estou certa?,

Aiii obrigada por suas visitas lá nos Escritos, adoro viu??
Já vi que gosta de poesia entra no Retratos em Degradê, lá tem mais.
Beijos querida e obrigada!

t i a g o . disse...

E que regresso. ^^

Anjo De Cor disse...

Leve e simples como um sonho ;)
Que tenhas a ousadia de continuar a sonhar sempre desta maneira ...
Um Grande Beijinho e Boa Páscoa ;)

Pequena; disse...

Tudo tem um ponto de partida, um (re)inicio. Folhas em branco pedem para serem preenchidas. Bela poesia.

Me desculpe pelo sumiço, andei um tempo afastada, estou de volta e adoro suas visitas.

Beijo grande.

Vieira Calado disse...

É na folha branca que se escrevem os melhores poemas.

Beijinhosss

Marta disse...

E escrever sobre sonhos, dúvidas, alegrias e tudo o que te for mais querido....
Boa Páscoa...
Obrigada pela visita e sim, li alguns poemas da poetisa de que falas..
Beijos e abraços
Marta

t i a g o . disse...

Boa Páscoa! Muito chocolaaate. :P

Tiago