domingo, 17 de agosto de 2008

Fado que já não toca

Ao Fado que já não toca,
À guitarra que perdeu as cordas,
Ao manto negro que ficou no chão,
Às memórias presas à solidão.


Cada mágoa que compõe a canção,
Em cada nota de pura nostalgia,
Enche os palcos de saudade,
De música, que é magia.


Não tentei ser poeta,
Não tentei cantar "o fado",
Apenas encho as minhas palavras,
Com um sopro delicado.


Ao Fado que já não toca,
Dou apenas um conselho:
A música é alma da vida,
E rege o Mundo inteiro.

4 comentários:

Isa disse...

Gostei,mais uma vez! Tu também já fazes parte do "meu mundo".E gosto k faças.Espero por um dos meus filhotes para me ensinarem a fazer o espaço correcto, nos versos.Tanto
a poesia de Cesário, como a Cantiga da minha aluna,perdem mto com a falha...Quando vejo, antes de publicar está bem.Depois...Eles vão corrigir,claro.Jinhooo.:) :)
isa

Marta disse...

A música ajuda-nos a dissipar certas dúvidas; enche-nos realmente a alma...
Obrigada pela visita....
Beijos e abraços
Marta

Tiago. disse...

Que este fado dite o teu Fado. Que eu cá estarei para te segurar, caso caias.

Tiago.

Lena disse...

Muitas vezes é a música que nos acalma.


Beijinho