quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Memórias de Alguém


Lembro-me tão bem das ruas,
Do povo animado,
Lembro-me das festas antigas,
E de te ter a meu lado.

E do cheiro a rosas,
Que exalava do jardim,
Das promessas ansiosas,
Que nunca cumpri.

O teu rosto inocente,
Que bailava com o vento,
As tuas palavras sinceras,
Que ainda percorrem o pensamento.

São as memórias de alguém,
De alguém como eu,
Que nem o tempo apaga,
O que o coração não esqueceu.

7 comentários:

Anjo De Cor disse...

Muito bonito sem dúvida, Parabéns!
Beijinhos*******
Sónia

Alexandre disse...

O coração nunca esquece... o tempo pode correr, a memória pode falhar, mas há coisas que nunca passam: o cheiro a rosas e a alma...

Isa disse...

Lindo.Gostei. jinho.xxx
isa.

Marta disse...

A memória de momentos felizes fica sempre guardada...
Lindo o poema....
Obrigada pela visita...
Beijos e abraços
Marta

Pequena Kah disse...

Ainn que saudade. Esse poema me trouxe boas lembranças.

Beijos e Parabéns.

Isa disse...

Pensei nisso, sabes?!Mas o batido sem o "espampanante,delicioso,sensual"
chantilly ñ engorda.Jinhos.Gostei da visita.
isa.

Isa disse...

Olha, Patrícia candeeiro k mostro é lindo de morrer!! Todo o Palácio(adoro Castelos, Palácios,
adoro imaginar como seria,k segredos guardam...)vale a pena ser visitado.Há horário e terei k deixar postado para...k conste.Bjo.
isa.